sexta-feira, 21 de junho de 2013

À Volta com a Vida: Ministério manda cortar salário total a professores em greve parcial (Assim vai o país DEMOCRÁTICO)



Ministério manda cortar salário total a professores em greve parcial

A denúncia é da Fenprof (Federação Nacional de Professores) que garante que o Ministério da Educação e Ciência (MEC) deu orientações às escolas para cortar um dia inteiro de salário sempre que os docentes façam greve às avaliações, faltando às reuniões de conselho de turma sem ter outra actividade nesse dia.

«A orientação que é dada pela Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEsTE) às escolas, sobre como calcular o desconto a efetuar quando um docente falta a uma reunião de conselho de turma, não tendo nesse dia outro tipo de atividade, é ilegal», acusa o sindicato, em nota enviada às redacções.

A Fenprof sustenta que, sendo de 35 horas o horário de trabalho dos professores, em média cada dia corresponde a sete horas, «incluindo, naturalmente, a componente individual de trabalho», pelo que «correspondendo cada reunião a duas horas de trabalho diário, seria absolutamente ilegal que, faltando o professor apenas a esse período de actividade, lhe fosse descontado um dia de salário».

O problema é, segundo os sindicalistas, ainda mais grave porque o cálculo está a ser feito sem ter em conta a componente não lectiva do horário de trabalho dos docentes.

«A aplicação informática que o MEC colocou à disposição das escolas para o lançamento dos salários dos docentes, calcula o valor dessa hora a partir das 22 horas lectivas o que faz, de imediato, aumentar o valor do desconto», afirma a Fenprof, que vai recorrer à Justiça.

«A Fenprof não irá tolerar estas ilegalidades cometidas pelo MEC, pelo que, a não serem corrigidas, merecerão a apresentação de queixa contra este Ministério, tanto nos tribunais como na Procuradoria-Geral da República», lê-se no comunicado.

Recorde-se que os professores estão em greve às reuniões de avaliação desde o dia 7 de Junho, com uma adesão que anda pelos 95%, e que está a atrasar todo o processo de afixação de pautas necessário para o acesso ao ensino superior mas também para a formação de turmas para o próximo ano lectivo.

Uma vez que basta um professor faltar à reunião para ser impossível realizar a avaliação, a greve tem sido feita, em muitos casos, por escala, com os docentes a organizarem-se para faltar à vez.

Além disso e também para minimizar o impacto financeiro de uma greve tão prolongada, em muitas escolas os docentes estão a criar fundos para compensar os colegas que fazem greve.

Fonte: Jornal SOL ONLINE

quinta-feira, 20 de junho de 2013

À Volta com a Vida: Morreu actor James Gandolfini



Morreu ator James Gandolfini

O actor James Galdolfini, de 51 anos, protagonista da série "Os Sopranos", morreu na quarta-feira de ataque cardíaco, em Itália, onde se encontrava de férias.


A notícia é avançada pelo site do jornal La Repubblica, que acrescenta que a notícia já foi confirmada pela produtora norte-americana HBO.

Natural de Nova Jersey e com raízes italianas, James Gandolfini ganhou três Emmys e um Globo de Ouro com a personagem do mafioso Tony Soprano.

De acordo com o portal de informação sobre celebridades TMZ, Gandolfini estava em Itália para participar num festival de cinema na Sicília (Taormina Film Fest in Sicily), onde deveria integrar uma mesa redonda com o diretor italiano Gabriele Muccino neste fim de semana.

Além do desempenho do papel de um chefe da máfia na série "Os Sopranos", exibida no canal por cabo HBO entre 1999 e 2007, James Gandolfini teve uma carreira no teatro e cinema.

No grande ecrã, destacam-se as suas participações em "True Romance" (1993), Gandolfini participou em "She's So Lovely" (1997), "8MM" (1999), "The Mexican" (2001), "The Man Who Wasn't There" (2001), "In the Loop" (2009) e "Zero Dark Thirty" (2012).



Fonte: SIC Notícias

À Volta com a Vida: Investigadora portuguesa descobre como expandir número de células estaminais




Investigadora portuguesa descobre como expandir número de células estaminais

Uma investigadora portuguesa descobriu uma forma de aumentar o número de células estaminais, o que poderá permitir transplantes diretos destas células para doentes com leucemia e resolver o problema de falta de reservas nos bancos de sangue.

A descoberta feita por Sandra Pinho, uma cientista portuguesa a trabalhar no Albert Einstein College em Nova Iorque, será publicada no Journal of Experimental Medicine, no dia 1 de julho.

Sandra Pinho identificou em humanos uma população de células capaz de expandir o número de células estaminais hematopoieticas (as células estaminais que dão origem a todas as células do sangue, desde plaquetas a glóbulos vermelhos ou brancos), revelou hoje a instituição em comunicado.

Esta descoberta é uma porta aberta para resolver situações em que é necessário transplantar diretamente as células estaminais hematopoieticas de forma a gerar de novo todo o sistema sanguíneo, como acontece nas leucemias ou anemias crónicas.

Mas além disso, esta possibilidade de expandir o número de células estaminais hematopoiéticas poderá resolver o problema crónico de falta de dadores nos bancos sanguíneos.

A medula óssea possui uma população de células estaminais hematopoiéticas, que é responsável por fabricar durante toda a vida as células sanguíneas necessárias para a sobrevivência.



Fonte: SIC Notícias

terça-feira, 11 de junho de 2013

À Volta com a Vida: Para os apreciadores: Cancro: Afinal a culpa é do sexo oral?




Cancro: Afinal a culpa é do sexo oral?


Não foram anos de tabaco, nem de álcool. O actor Michael Douglas diz que o seu cancro foi provocado por vírus transmitido através de sexo oral.

Parece que Michael Douglas até tem alguma razão. O cancro na garganta que lhe foi diagnosticado há dois anos pode ter sido provocado pelo vírus do papiloma humano (HPV), transmitido através de sexo oral. Os especialistas estão cada vez mais certos da relação entre este vírus e o risco de contrair alguns cancros orais e dizem que estes casos estão a aumentar.

A revelação feita pelo actor norte-americano de 68 anos na segunda-feira ao diário The Guardian pôs meio mundo a falar de um risco quase desconhecido do sexo oral.

E apesar de o porta-voz de Douglas ter vindo negar que o actor fizera essa associação directa, o som da entrevista divulgado pelo jornal britânico não deixa margem para dúvidas: «Este cancro em particular é causado pelo HPV, que é provocado pelo cunnilingus», revelou Douglas ao jornalista do The Guardian.

A declaração é vista sem qualquer surpresa pelo antigo presidente do Colégio da Especialidade de Oncologia da Ordem dos Médicos. «Hoje, entre os oncologistas, é cada vez mais consensual que há um aumento de risco de cancro relacionado com o HPV», defende Jorge Espírito Santo.

O especialista diz que «a transformação de uma célula saudável numa célula cancerígena nunca resulta de um único factor, mas sim de uma multiplicidade de factores» e que há provas cada vez mais sólidas de que este vírus pode ser um factor agravante para o desenvolvimento destes tumores.

Em Portugal, calcula-se que 300 dos 1.500 cancros orais que surgem todos os anos, sejam da orofaringe, os que mais são associados ao HPV. Cancros cuja incidência não tem parado de crescer e cuja mortalidade é elevada por não serem diagnosticados a tempo. Uma situação que já levou o Ministério da Saúde a elaborar um plano específico para o aumento do diagnóstico destes problemas, preparando este ano o lançamento de um rastreio do cancro oral.

Vários estudos evidenciam que o HPV é detectado em até cerca de 25 por cento dos cancros orais. Nos EUA este risco aumenta no caso do cancro da língua por exemplo.

Mas nestes cancros, são o tabaco e o álcool os principais factores de risco. E o protagonista de Atracção Fatal é conhecido por ter tido um estilo de vida que incluía doses maciças dos dois, bem como de abuso de drogas, tendo feito vários tratamentos de desintoxicação do álcool. Em várias fotografias surge também a fumar depois de o cancro lhe ter sido diagnosticado.

Apesar disso, o actor não teve qualquer dúvida em afastar o peso destes vícios quando o jornalista do The Guardian quis saber se o excesso de álcool e tabaco não tinha contribuído para a doença. Douglas, que é casado com a actriz Catherine Zeta-Jones, preferiu a tese do sexo oral, mas os médicos estão convictos de que os cigarros e o alcoolismo terão tido um peso bem mais determinante no desenvolvimento do cancro na garganta.

Certo é, como explica Jorge Espírito Santo, que os doentes com cancros orais e que têm testes positivos para o HPV têm um «prognóstico ligeiramente melhor» no combate à doença.

Vírus silencioso

Há muito que o HPV, que infecta 75% da população sexualmente activa em Portugal, está ligado ao risco de cancro. O vírus, que se transmite através de relações sexuais (vaginais, anais e orais) desprotegidas, é sobretudo associado ao cancro do colo do útero. Há centenas de vírus HPV diferentes, a maioria inofensivos. Mas apenas dois deles são responsáveis por 70% dos cancros do útero diagnosticados. Por isso, em Portugal a vacina contra vários subtipos do HPV mais agressivos é dada, desde há cinco anos, às adolescentes, sendo recomendada antes do início da vida sexual.

Mas se é possível fazer uma ligação directa entre o cancro do colo do útero e o HPV, o mesmo não acontece com o cancro oral. O andrologista Nuno Monteiro Pereira salienta que há inúmeros estudos sobre a relação do HPV com o cancro da boca, da língua e amígdalas, mas muitos com resultados contraditórios. E lembra que, mesmo no caso do cancro do pénis ou da vulva, a relação não é directa. «É preciso haver mais provas, mas como o HPV está muito disseminado, estabelecer uma relação directa é mais difícil».

O especialista admite o aumento do risco e reconhece que, nestes casos, os homens e as mulheres devem preocupar-se, adoptando as mesmas precauções que evitam outras doenças sexualmente transmissíveis, como a sida, a sífilis ou a gonorreia. «Usar preservativo, evitar múltiplos parceiros», recomenda.

É que o vírus pode estar inactivo durante anos e depois começar a actuar silenciosamente. «É possível ter o vírus e não a doença», acrescenta

A única forma de diagnóstico é o rastreio. Nas mulheres através do ‘papanicolau’, um teste ginecológico de rotina, e nos homens através de um teste com ácido asséptico a 5%, que permite detectar lesões no pénis, que não são facilmente visíveis.

«É um teste indolor para os homens», garante Monteiro Pereira. «As lesões provocadas pelo HPV reagem ao ácido e ficam brancas, sendo visíveis através de ampliação». Qualquer suspeita de cancro terá sempre de ser confirmada através de biópsia.

Quer nas mulheres quer nos homens as feridas provocadas pelo HPV não cancerígenas são facilmente tratáveis, mas o vírus não tem cura, podendo apenas ser controlado por tratamento.

Facilmente transmitidas através de sexo oral são outras doenças como a sífilis, a gonorreia ou a candidíase. «A candidíase é a mais comum entre homens e mulheres. É uma doença provocada por fungos», conclui o especialista, lembrando que há um risco importante de transmissão da doença através de sexo oral. Segundo os especialistas, neste caso, é mais comum a infecção das mulheres através de sexo oral.

Fonte: Jornal SOL Online

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Notícia(s) do Dia: Só falta mais uma semana...APROVEITEM


ESTEJA NO GRANDE EVENTO DO LIVRO...A NOSSA FEIRA DO LIVRO, EM LISBOA, PARQUE EDUARDO VII
(SÓ FALTA MAIS UMA SEMANA PARA TERMINAR)